Pinghera & Associados Contabilidade.

MENTE E CORPO EM EQUILÍBRIO

Abaixo, Matéria extraída da REVISTA DO SESCON-SP - N. 323 - ABRIL DE 2016 - página 28

De acordo com a Organização Mundial de Saúde - OMS, até 2020, a depressão será a maior causa de afastamento do trabalho no mundo. No Brasil a situação não é menos grave e pede a atenção de sindicatos, empresários e do poder público. Dados publicados no site do Senado Federal, apontam que a depressão é hoje a segunda causa de afastamento do trabalho no território brasileiro, só perdendo para as Lesões por Esforço Repetitivo (LER), também denominados Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT).

Mas o problema não se limita a esse fato: uma pesquisa realizada pela Universidade de Brasília (UnB) em parceria com o Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) Revela que 48,8% dos trabalhadores que se afastam por mais de 15 dias do trabalho sofrem com algum transtorno mental, sendo a depressão o principal deles. A depressão pode prejudicar a capacidade de a pessoa trabalhar e estudar, pode ocorrer desde um alentecimento do raciocício, passando por dificuldades de concentração até uma vontade de "passar o dia inteiro deitada na cama". A depressão se caracteriza por uma constelação de sintomas e sinais incluindo: sensação de tristeza, vazio ou falta de esperança a maior parte do tempo; grande diminuição da capacidade de sentir prazer ou do interesse em todas ou quase todas as atividades; aumento ou diminuição de apetite; insônia ou excesso de sono; agitação ou retardo psicomotor;fadiga e perda de energia; sentimento de inutilidade, culpa excessiva ou inadequada; capacidade diminuída de pensar, de concentrar-se ou indecisão; pensamentos de morte recorrentes, ideação suicída, tentativa de suicídio ou plano específico de cometer suicídio.

COMO CONSEGUIR FAZER O DIA RENDER?

Se a pessoa trabalhar numa área na qual o estado depressivo não traga riscos para ela própria ou para outros, ela poderá facilitar seu desempenho dividindo suas tarefas em vários segmentos. Por exemplo, um jornalista, nesta condição, ao invés de se lançar na produção de um texto jornalístico como um todo, deve proceder como um alpinista ao subir uma montanha, ou seja, só pensando em cada passo a ser seguido.

Assim o jornalista faz uma lista das pessoas a serem entrevistadas ou dos textos a serem lidos.

Em seguida, lança-se apenas a uma tarefa que , por menor que seja, consiga executar sem ter maiores ambições. Se conseguir apenas fazer a lista, num dado dia, pare por aí. Se, num outro dia, entrevistar uma das pessoas ou mesmo só marcar o horário da conversa, já deve admirar o seu trabalho pois, para alguém em depressão, todo esforço deve ser elogiado. Se sentir-se um pouco melhor fazendo intervalos entre cada tarefa, deve se permitir esta atitude. Assim, passo a passo, lentamente, a pessoa consegue realizar seu trabalho. Tratada a depressão, seu rendimento volta ao normal.

SINTOMAS E SINAIS

Sensação de tristeza, vazio ou falta de esperança a maior parte do tempo;

Grande diminuição da capacidade de sentir prazer ou do interesse em todas ou quase todas as atividades;

- Aumento ou diminuição de apetite; insônia ou excesso de sono;

- Agitação ou retardo psicomotor, fadiga e perda de energia;

- Sentimento de inutilidade, culpa excessiva ou inadequada;

- Capacidade diminuída de pensar, de concentrar-se ou indecisão;

- Pensamentos de morte recorrente, ideação suicída, tentativa de suicídio ou plano específico de cometer sucídio.


Home | Empresa | Serviços | Videos | Simuladores | Links úteis | Contato
Rua São José , 2000 - Jardim Sumaré - Ribeirão Preto - SP - 16 3514 8202 / 3514 3300
Pinghera & Associados © 2018. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Highpix.